14jan/17

Renata por Renata

Uma brasileira, gaúcha, míope, debochada que adora dar gargalhadas em alto e bom tom e despreza gente hipócrita que condena atitudes que adoraria fazer um dia. Se tem uma coisa que sou mestre em fazer é seguir o que meu coração manda mesmo que eu me arrebente toda no meio do caminho e tenha que recalcular a rota e recomeçar. Aliás, Renata significa renascida, não poderia existir nome mais perfeito para mim que adoro um recomeço. A vida precisa de movimento para se manter oxigenada e cheia de grandes momentos e alegrias. Existência estagnada fede a naftalina.

Sou palestrante, trainer em desenvolvimento humano e consultora. Life e Professional Coach que experimentou o Coaching Financeiro e se encontrou como Master Coach de Carreira. Administradora de empresas com especialização em Gestão de Pessoas, mas oficialmente servidora pública federal, que nas horas vagas adora escrever e inventou de montar sua própria editora em função disso.

Sou de Capricórnio. Uma persistente irritante que a todo momento tem que se controlar para não virar Workaholic. Meu problema é que faço muitas coisas diferentes e adoro fazer todas elas.

Sou Gremista e beeeeem GREMISTA, mas quer saber? Não discuto com ninguém por time, acho que cada um tem o seu e o que interessa é torcer por ele. Não me importo se a bola entrou ou não, desde que aqui em casa estejam fazendo gol.

Não lembro das coisas na hora de contar. Às vezes curto um salto alto e chapinha, outras um jeans rasgado e tênis. Desastrada, estabanada, desbocada, mas por favor, não me subestime e não me julgue antes de me conhecer. Depois sim, pode falar o que quiser de mim, afinal, cada um tem a Renata que merece, e costumo pegar pesado na antipatia quando não vou com a cara de alguém.

Acordo cedo, adoro dormir com chuva, odeio chuva… Gasto meu dinheiro com equilíbrio, porém deixando sempre aquela parte para torrar com coisinhas fofas, diversão, restaurantes e viagens. Tudo aquilo considerado supérfluo para os outros, para mim é celebração da vida. Falando em dinheiro, ele deve ser gasto com integridade. Um valor muito importante. Sou capaz de adiantar pagamentos, mas jamais fico devendo um centavo para alguém. Dever dinheiro para quem quer que seja é mais feio que cair com a mão no bolso e fico apavorada de ver como isso não funciona do mesmo jeito para algumas pessoas por aí. Faço questão que associem meu nome a honra, comprometimento, responsabilidade e respeito, principalmente em relação à dinheiro. Nossas conquistas só tem valor quando não utilizamos o pescoço de ninguém como degrau e quando não existem pendências financeiras pelo caminho. De nada adianta estar linda por fora se por dentro não vale o que come. Sim, sou dessas, eu falo mesmo.

Adoro comer bergamotas e “lagartear” no sol do inverno. Caseira ao extremo, praticamente hiberno em determinadas estações do ano em frente à lareira, onde vinho, netflix, salame, queijo, brigadeiro de panela ou pipoca são minhas bases alimentares. Sim, você não entendeu errado. Alimento minha criatividade com filmes e como o cérebro não separa o real do imaginário, sou capaz de ficar dias vivenciando o sofrimento de um personagem ou gargalhando ao lembrar de uma cena hilária. Se bobear imito trejeitos de alguns protagonistas na hora do jantar enquanto meus filhos morrem de rir fazendo a água voltar pelo nariz. Gosto assim.

Filhos! Posso dizer que sou a mulher mais realizada do mundo por tê-los em minha vida. Um Guilherme criativo, divertido, inteligente e sarcástico. Uma Marina com personalidade forte mas que sabe ser doce a ponto de me fazer ficar derretida como manteiga e encher os olhos d´água por uma simples frase. É por eles que busco ser minha melhor versão a cada dia. Amo final de semana ensolarado para passear com minha família enquanto tomo um chimarrão.

Tenho TPM e VPP (Vergonha Pela Pessoa). Prefiro o verão, mas o inverno é tuuuudo pra namorar. Às vezes me dedico, outras quero que se dane. Às vezes tenho vontade de apagar todas as minhas tatuagens e ser apenas uma administradora “chique” que usa salto alto todos os dias. Depois acho que morar na praia e passar o dia escrevendo numa varanda de frente para o mar faria de mim uma pessoa mais feliz.

Acho que amigo é amigo. “F.D.P” É “F.D.P”. E eles estão muito bem separados no meu caderninho. Nem sempre escuto o anjinho. Às vezes escuto o diabinho… Mas só às vezes. Eu conversava com meu cachorro. Converso com Deus também. Às vezes quero paz no trânsito, outras quero descer do carro e dar um soco no olho do desgraçado (sim, só eu sei dirigir).

Acho que deveria ser mais séria, silenciosa, gesticular menos, falar menos, falar baixo. Às vezes rock no volume máximo ou um tango daqueles impossíveis de passar despercebido, tomando um vinho então fica perfeito. Outras vezes blues para acalmar a alma.

Essa sou eu. Talvez uma causa perdida. Vários defeitinhos de fábrica, mas sempre buscando me sentir EQUILIBRADA E FELIZ de modo que todas as pessoas que passem por mim sintam-se bem melhores por isso. Afinal, o que fomos em vida e o que significamos na vida das pessoas é a única coisa que fica depois da nossa morte, não é mesmo? 🙂

11jan/17

Encerrando Ciclos

11 de janeiro de 2017. Meu aniversário. Eu simplesmente adoro fazer aniversário independente de saber que estou envelhecendo. Aliás, eu simplesmente adoro envelhecer. Não fisicamente, óbvio! Mas intelectualmente. A cada ano percebo que não faço questão nenhuma de ser quem era há alguns anos e na medida em que o tempo passa sinto ciclos de aprendizado sendo concluídos carregados de experiências que me tornaram mais fortalecida e mais sábia. Percebo cascas de ingenuidade sendo desconstruídas na medida em que me deparo com as decepções.

Hoje começo um novo ciclo, com um olhar diferenciado sobre as pessoas que me cercam. Decidi simplesmente eliminar da minha vida todas as pessoas que não agregam ou que de certa forma lembram de mim somente quando lhes convém. Definitivamente minha vida fica até melhor sem elas. Sobra mais tempo para gastar com quem me importa e com quem preenche minha vida de presença.

Presença, palavrinha forte essa. Valorizo tanto a presença das pessoas em minha vida que passei a ser mais cuidadosa com isso ultimamente. O cuidado de quem não pode estar presente, mas lembrou de enviar um cartão dizendo que esteve impossibilitado de comparecer a um lançamento de um livro por exemplo, tem um valor e um significado enorme para mim. Talvez as pessoas não saibam o quanto valorizamos sua presença e sentimos sua ausência. Muitas delas acham tão bobinho se fazer presente que trocam um momento de estar numa ocasião especial de um amigo por uma porcaria de um capítulo de novela. Sei que não fazem por mal, mas machuca quem espera.

Começo um ciclo onde estarei presente na vida de quem me importa e enviarei cartões quando minha ausência tiver que se fazer presente. Gentileza, cuidado, carinho, atenção, amizade, respeito e admiração. Palavras que estarão no cabeçalho do meu bloquinho para lembrar o que realmente tem valor.

Ajustes de comportamento. Mudanças de sentimentos. Colocar as pessoas certas nos seus devidos lugares. Nada que não mereça minha atenção estará no meu caminho. Realinhamento da sensação de paz interior. Cuidados com a minha espiritualidade. Respeitar os meus valores eliminando tudo que não está devidamente alinhado. Diminuir carboidratos e pessoas chatas da minha vida, já que infelizmente é impossível conviver sem eles. Tentar ser menos chata inclusive. Ser mais compreensiva e aceitar que todos os erros que cometemos na vida foi por não saber o desfecho de determinados capítulos de um livro que às vezes escrevemos seguindo apenas o coração, mas que com certeza nos torna diferenciados pela aprendizagem que registra, impedindo-nos de repetir caminhos tortos que não levam a lugar nenhum.

29dez/16

Seja você sua maior expectativa para 2017

 

Woman visiting Montmartre, Paris

Não é 2017 que tem que ser diferente, é você. Já pensou nisso? Você não é o que você fala, você é o que você faz. De nada adianta colocar fotos fazendo viagens lindas no facebook se está devendo dinheiro para uma única pessoa se quer. De nada adianta criticar a corrupção no Brasil se você é o primeiro a querer dar um “jeitinho brasileiro” em alguma situação. De nada adianta reclamar do peso na sua balança, se você enche a cara de açúcar e carboidrato. Você precisa ser o agente causador da mudança. Pois de nada adianta reclamar da vida se você não faz a sua parte.

Quais suas três principais metas para o ano que está chegando? Quais as três principais metas que você realizou no ano que findou? Você sempre consegue o que se compromete a fazer ou é daquelas pessoas que desistem no meio do caminho? E se consegue, você conseguiu engrandecer outras pessoas no percurso junto com você? Ninguém vai muito longe quando usa o pescoço dos outros de degrau para subir na vida. Você até consegue fazer um teatrinho por um tempo, mas não por todo o tempo. Faça seu nome ser motivo de orgulho.

Não terceirize a responsabilidade pelo seu sucesso. Faça acontecer. Tire as ideias do papel e elabore um plano de ação. Crie micrometas mensais para serem realizadas que te impulsionarão a atingir metas maiores. Não espere pelos outros. Faça por você. E aja com os outros como gostaria que agissem com você.

O tempo é carrasco e impiedoso. Ele não espera por ninguém. Onde você quer estar daqui cinco anos? O que você precisa fazer hoje para conseguir o que deseja nesse período? Coloque data e hora para começar suas promessas. Cumpra o que você se propõe a fazer. Seja correto e honesto não só com você mas com todas as pessoas.

Uma coisa é certa: se continuarmos fazendo as mesmas coisas dificilmente conseguiremos resultados diferentes. Que 2017 traga muita força de realização em sua vida e que você conquiste tudo o que deseja com muita saúde e paz no coração. Lhe desejo muita ação pois, sonho sem ação não é sonho, é devaneio. Seja você sua maior expectativa para 2017. =)

16nov/16

Princípio 90/10

adolescente-brincalhao-que-mostra-o-gesto-dos-vidros_1149-176Trata-se do princípio de Stephen Covey que nos ensina a controlar e observar nossas reações diante das coisas que acontecem em nossas vidas. Stephen Covey foi um proeminente empresário e um escritor norte-americano mais conhecido por seu best-seller “Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”. Este princípio pode mudar positivamente nossas atitudes ou pelo menos a forma como lidamos com os acontecimentos do cotidiano.
Dez por cento é o que nos acontece e noventa por cento é como percebemos o que nos acontece. Podemos escolher se isso vai ser bom ou ruim. Podemos extrair aprendizado do que for ruim transformando em algo bom ou minimizarmos muito determinadas situações.
A nossa reação diante dos fatos modula as consequências. O que isso quer dizer? Que não podemos evitar que um avião atrase, um carro estrague, um semáforo fique vermelho. Isso representa 10% do que nos acontece. Os restantes 90% serão determinados pelas nossas reações.
Sendo assim, quando algo de ruim lhe acontecer tente respirar fundo, analisar a situação, não perder tempo elegendo culpados e foque num plano de ação para a resolução dos problemas o mais rápido possível. Assim sua mente será ocupada de maneira positiva e sairá da questão negativa que não lhe trará resultado algum.

20out/16

Autoconhecimento ou Seita Demoníaca?

caminhos-para-obter-mais-autoconhecimento-e-prosperidadeMuitas pessoas detestam a palavra Coaching porque associam a toda transformação que ele causa e que muitas vezes não é desejada para quem está ao lado de quem foi o agente da mudança. Já ouvi depoimentos de clientes dizendo que o marido disse que ela entrou para uma seita demoníaca ou que a coach, no caso eu, fiz uma verdadeira lavagem cerebral. Não é nada disso. Coaching é autoconhecimento. Sabe qual é o problema de aprender sobre isso? É que você não quer mais perder tempo com infelicidade. Você quer equilibrar urgente todas as fatias da roda da sua vida. Você quer sentir borboletas no estômago por um novo projeto porque percebeu que sua vida está estagnada com cheiro de naftalina. Você quer realizar tudo aquilo que sua potencialidade é capaz de fazer e não mais permitir que algo lhe agrida ou te impeça de seguir adiante em direção ao que te faz feliz. Você aprende a importância do foco aliado a ação e decide não perder seu precioso tempo com fatos, coisas e pessoas que não contribuem com o teu propósito de vida, aquele lugarzinho lindo que você descobre que é exatamente onde você quer chegar, mas que não fazia ideia de como fazer para conseguir isso.

Quando aprendemos sobre nossas forças, não queremos mais saber das fraquezas. Quando aprendemos que podemos voar alto, não queremos mais andar com os pés no chão. Quando aprendemos que somos muito maiores do que nos ensinaram, não ouvimos mais quem está abaixo da linha do medíocre. Modelamos os grandes, as pessoas que despertam a nossa admiração, as pessoas que realizam grandes feitos e atingem grandes resultados sempre focados na positividade. Observando sempre quem coloca o ser antes do ter, pois sabemos que o sucesso genuíno está atrelado a isso. De fato, pode parecer demoníaco para algumas pessoas que não aceitam o direito a individualidade dentro de uma relação.

Ninguém é propriedade de ninguém e ninguém deve estar preso a alguém por motivos financeiros ou dependência emocional. As pessoas devem estar juntas por amor, respeito, cumplicidade, carinho e atenção. Fora isso é inaceitável. Uma vida é muito especial para ser entregue de mão beijada para alguém que não merece. Para alguém que acha que criticar a busca pelo aperfeiçoamento do ser é mais interessante do que se aperfeiçoar também.

Coaching não é seita, é um profundo autoconhecimento e empoderamento de quem descobre suas fortalezas e aprende a utilizar a seu favor. Simples assim.

11out/16

Onde está o seu foco?

Uma pessoa depressiva foca no problema, nas dificuldades, amplia pequenas tristezas e ignora grandes alegrias. É preciso tirar o foco do problema e trazer para a solução. Automaticamente as dificuldades diminuirão.
Gente frustrada e fracassada foca na negatividade. E aonde foca expande. Felicidade se conquista de segunda a domingo. Tem ciclos de 7 dias para ser realizado. Use seus 7 dias. As pessoas que realizam tem foco em todas as áreas da vida. É preciso verificar o nível de atenção que você dá para cada fatia do círculo que forma a sua existência. Que círculo é esse? Seus cuidados com a saúde, seu equilíbrio emocional, como você trata seu dinheiro, sua família, seu cônjuge e você próprio. Sua espiritualidade, o quanto você contribui com a comunidade em que vive, o quanto você se permite praticar aquilo que te dá prazer de viver, que te diverte. O equilíbrio de todas essas fatias vai determinar a sua sensação de paz, plenitude e felicidade.
Busque conhecimento. Sempre, todos os dias. O que eu não tenho é pelo que eu não sei, porque se eu soubesse eu já teria. Dê foco para seus talentos, aquilo que você faz bem. Faça aquilo que você ama fazer. Canalize sua atenção em uma só direção, produzindo energia, fogo, resultados. Elimine tudo que desvia sua atenção. Identifique como você distribui seu tempo e otimize cada minuto a seu favor. Separe o urgente do que é importante. Verifique o que é delegável. Faça tudo aquilo que for necessário sem procrastinar. Escreva numa lista dez ações que deverão ser feitas para que você tenha foco numa determinada meta.
Seja ousado, se desafie. Não se contente com mesmice e vidinha mais ou menos. Você merece mais, bem mais. A vitimização produz autossabotagem. Não seja vítima da vida. Reaja. Se você não fizer por você ninguém mais fará. As pessoas estão ocupadas vivendo suas próprias vidas. Acorde!
O importante não é o que acontece de ruim em nossas vidas, mas o que nós fazemos com o que acontece de ruim. Lembre-se: 10% é o que acontece e 90% é o que você faz em relação ao que te acontece. Gerencie suas frustrações. O erro é uma etapa fundamental do processo de aprendizagem. Quem não falha, não cresce.
Caminhe pelo caminho dos vitoriosos. Faça o bem. Faça as escolhas certas e não justifique suas escolhas ruins. Faça parte da comunidade das pessoas que realizam, aquelas que fazem do mundo um lugar melhor para si e para os outros e seja sempre feliz.

 

10out/16

Infelicidade é acumular desperdícios

Se faço o que gosto e estou feliz, as manhãs de segunda-feira são desagradáveis? Com muita frequência vemos pessoas extremamente desanimadas com o que fazem, celebrando a sexta-feira como uma tábua de salvação para não enlouquecer.

No mínimo oito horas diárias, mais o deslocamento até em casa e mais o período que gasta reclamando dessas condições. Quanto isso representa em uma semana? Agora faça as contas do tempo gasto em um mês vivendo uma vida sem ânimo que não direciona a lugar nenhum, pois quando não se sabe para onde vai, qualquer caminho serve. Continue reading

08out/16

Ressignificando nossas dores

Ressignificar é atribuir um novo significado a acontecimentos através da mudança de sua visão sobre as coisas. Perceber o mundo de uma maneira mais agradável, proveitosa e eficiente.
“O significado de todo acontecimento depende do filtro pelo qual o vemos. Quando mudamos o filtro, mudamos o significado do acontecimento, e a isso se chama ressignificar, ou seja, modificar o filtro pelo qual uma pessoa percebe os acontecimentos a fim de alterar o significado desse acontecimento. Quando o significado se modifica, as respostas e comportamentos da pessoa também se modificam.” Retirei essa parte da internet para que você possa entender melhor o que estou dizendo.
Através da ressignificação, podemos aprender a pensar de outro modo sobre algo de ruim que nos marcou em algum momento e que de certa forma prejudica o atingimento de futuros resultados positivos em nossa vida. É o mesmo que pegar a dor e retirar a essência do que isso pode te trazer de bom, extrair aprendizado do sofrimento e seguir a vida de maneira leve focando no quanto determinadas dificuldades podem nos fortalecer.
Muitas vezes damos uma importância exagerada para algo que nos gerou um sentimento ruim de injustiça, dor ou mágoa no coração. Quando tentamos pensar no quanto aquilo contribuiu para o nosso crescimento e buscamos enxergar por um outro ângulo, o acontecido recebe outro grau de importância. Algo que alimenta nossa evolução como ser humano gerando uma força motriz que nos impulsiona em busca da superação.
Por exemplo, uma doença que por um lado te impede de realizar muitas coisas, por outro te deixa com mais vontade de viver e realizar tudo aquilo que é possível de ser feito apesar das limitações. Te faz grato por todos os dias com saúde. Uma separação conjugal te torna melhor para lidar com outros relacionamentos. Em vez de ficar com essa mágoa no coração, tente ressignificar esse sentimento e leve consigo o melhor do ensinamento que ficou.
Não utilize sofrimentos do passado como muleta para justificar tua falta de atitude para melhorar teus resultados. Como você pode ressignificar uma determinada história na sua vida? Seja o que for, deve te impulsionar para frente e não te puxar para trás.
Seja apaixonado pela vida. Elimine as mágoas e aproveite para crescer, seguir em frente. Você escolhe se vai ficar contando eternamente suas histórias ruins na posição de vítima do mundo ou ressignificar extraindo o ensinamento que a experiência lhe proporcionou e recriando uma nova história cheia de sentimentos bons e grandes resultados.

Ressignificar é atribuir um novo significado a acontecimentos através da mudança de sua visão sobre as coisas. Perceber o mundo de uma maneira mais agradável, proveitosa e eficiente.

Continue reading

07out/16

Não deixe que seus medos tomem o lugar dos seus sonhos

poemas_sobre_sonhosO título faz referência a famosa frase do Walt Disney que foi um dos maiores exemplos de persistência e coragem que alguém pode ter. Muitas de nossas crenças nos impedem de avançar por conta do medo e atitudes sabotadoras. Se acreditarmos que podemos, vamos agir em direção a nossas metas mesmo diante de incertezas e contratempos que certamente ocorrerão.

Continue reading

06out/16

A brevidade da vida

Em muito pouco tempo perdi algumas pessoas  que eram muito queridas para mim. Dentre eles, um tio que partiu com apenas quarenta e cinco anos e outro aos cinquenta e sete.  A meu ver com muita vida pela frente. O que me fez lembrar do meu sobrinho Marquinhos que aos vinte e quatro anos perdeu a vida num acidente em 2014. Mais uma vez a morte me provando a brevidade da vida e o quanto perdemos tempo com coisas pequenas que não deveriam estar presentes em nossa existência.   Continue reading